Biopsias

PATO BUCALA  biópsia é um procedimento no qual se colhe uma pequena quantidade, isto é, uma amostra de tecido ou células, para posterior estudo em laboratório. Existem diversos tipos de biópsia, cuja utilização é feita em função do tecido ou órgão que se pretende  estudar. Estas amostras podem ser utilizada inclusive em diagnósticos de Estomatologia.

Depois de colhida, a amostra é então enviada ao laboratório onde é corada e observada ao microscópio. A observação microscópica mostra se o tecido ou células são normais ou se fazem parte de alguma alteração como cistos, tumores, patologias ósseas ou derivadas de remanescestes dentários, e outros.

As conclusões retiradas da análise de uma biopsia, são consideradas essenciais para o diagnóstico definitivo de lesões da cavidade oral, quer dos tecidos moles ou duros, e subsequente tratamento apropriado.

Planejar antes de executar uma biopsia é fundamental, para que o patologista nos possa ajudar a chegar a um diagnóstico definitivo. Os resultados podem ser afetados pela técnica ou manuseio incorreto do material de biopsia, levando a situações desagradáveis como a repetição, com todas as consequências que tal acarreta para o doente.

INDICAÇÕES PARA BIÓPSIAS

  • Qualquer lesão persistente por mais de duas semanas, com etiologia desconhecida;
  • Lesões inflamatórias, que não regridem até 2 semanas após a remoção do agente irritante;
  • Alterações hiper ceratóticas persistentes na superfície dos tecidos bucais;
  • Tumefação persistente, visível ou palpável em tecidos normais;
  • Lesões que interferem com a função normal da região;
  • Lesões ósseas não identificadas clínica e radiograficamente;
  • Qualquer lesão com característica de malignidade.

TIPOS DE BIÓPSIAS

Citologia Oral ou Esfoliativa, indicada para doenças com morfologia celular específica, como diagnóstico complementar, para controle pós-radioterapia, detecção de recidivas pós excisão cirúrgica de alguns tumores malignos, diagnóstico de lesões suspeitas em pacientes com grande risco cirúrgico. A técnica é raspar a lesão firmemente com espátula metálica ou abaixador de língua, espalhar uniformemente o material obtido sobre uma lâmina de vidro, fixar imediatamente o material à lâmina, enviar ao laboratório de patologia para coloração e avaliação microscópica, juntamente com ficha constando os dados do paciente.

Punção por Agulha Fina (PAAF), indicada para lesões profundas e de difícil acesso (glândulas salivares). É realizada com a remoção de pequenos fragmentos de tecido com agulha de fino calibre e avaliação histopatológica deste tecido.

Biópsia Incisional, consiste na retirada de uma parte ou amostra representativa da lesão e conseqüente avaliação histopatológica deste tecido. É indicada para lesões muito extensas, lesões com características diferentes em sua extensão, suspeita de malignidade. Ocorre remoção de áreas representativas da lesão. Indicada quando há  alterações teciduais completas, extensão aos tecidos normais nas bordas da lesão. busca evitar tecidos necrosados, deve incluir volume adequado de tecido alterado. Se faz com incisões em cunha, mais profundas do que extensas em largura.

biopsia

biopsia2

 

 

 

 

 

Biópsia Excisional (Estomatologia), com a remoção total da lesão no momento da intervenção cirúrgica para diagnóstico. Indicado quando lesões menores que 1 cm com aspecto benigno no exame clínico, qualquer lesão que possa ser removida completamente sem mutilar o paciente, lesões pediculadaslesões pigmentadas pequenas, lesões vasculares pequenas.

biópsia3Biópsia de Tecidos Duros ou Lesões Intra-Ósseas: Não difere das biópsias de tecidos moles quanto aos princípios cirúrgicos e  patológicos, apenas requer algumas considerações especiais devido a sua localização.